Massagem Rítmica

A massagem rítmica faz parte do leque de terapias complementares oferecidas pela Medicina Antroposófica. Através do toque, a massagem rítmica apela à perceção consciente do corpo e aos processos rítmicos da vida do Ser Humano atuando no sistema nervoso autónomo (SNA).

O SNA controla muitas funções vitais do corpo onde se incluem, por exemplo, a respiração, a digestão e o metabolismo. Especialmente através da estimulação do sistema vago é possível aliviar o stress, reduzir a dor e melhorar o sono.

Estimulando diretamente a circulação sanguínea e o sistema linfo-vasomotor (processo de movimento dos vasos sanguíneos), e ainda procedendo à regulação da tensão incorreta dos músculos e tecido conjuntivo, a massagem rítmica apoia o organismo como um todo.

O ritmo estimula os poderes de auto cura e de autorregulação do Ser Humano.

Indicações Terapêuticas


  • Doenças do sistema músculo-esquelético e dor - condições crónicas – inflamação aguda
  • Burn-out, esgotamento e exaustão
  • Distúrbios do sono
  • Várias queixas internas, como por exemplo, enxaquecas, problemas digestivos, - distúrbios circulatórios
  • Distúrbios do desenvolvimento em crianças e adolescentes - distúrbios de atenção - enurese noturna
  • Distúrbios respiratórios
  • Doenças oncológicas
  • Doenças psicossomáticas, traumas e medos
  • Doenças autoimunes
  • Imunodeficiência e para fortalecer as defesas do organismo
  • Crises na vida
  • Pós cirurgias
  • Questões ginecológicas, gravidez e parto
  • Apoio nos cuidados paliativos

Poderão ainda ser analisados casos individuais, sendo possível adaptar o tratamento às necessidades concretas do paciente.

Terapeutas


Rosemarie Jungen | Sesimbra
rosemariejungen@gmail.com

"

Eu trago serenidade em mim,
Em mim mesmo eu trago
As forças que me fortalecem.
Quero preencher-me
Com o calor dessas forças,
Quero permear-me
Com o poder de minha vontade.
E quero sentir
Como a serenidade se derrama
Por todo o meu ser,
Quando me fortaleço
[Para] encontrar em mim
A serenidade como força,
Pelo poder do meu esforço.

"

Rudolf Steiner